DOAR AGORA

Notícias

Notícias

Começa sétimo curso de homeopatia na agricultura
13 de abril de 2022 Diangela Menegazzi

Formação realizada pelo CAPA e pela Unioeste a partir de Marechal Cândido Rondon reúne pessoas de 13 estados do Brasil e também do Paraguai

Teve início a sétima edição do curso de extensão universitária Homeopatia na Agricultura. A formação reúne pessoas de 13 estados do Brasil e também do Paraguai. Participam agricultoras, agricultores, estudantes e profissionais de distintas áreas.

O VII Curso de Extensão Homeopatia na Agricultura é promovido pelo Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (CAPA) e pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), a partir de Marechal Cândido Rondon (PR). 

São 12 módulos que abordam história, conceitos, princípios e doutrinas da ciência da homeopatia para a aplicação na agricultura. A maioria das aulas está sendo ministrada pelo professor Alexandre Mendonça, médico veterinário e referência na área de homeopatia no Brasil. As aulas ocorrem de modo virtual, quinzenalmente, às terças e quartas-feiras no período noturno, e no sábado pela manhã, uma vez ao mês.

Aula de abertura do VII Curso de Extensão Homeopatia na Agricultura

Vida saudável 

De acordo com Jhony Luchmann, coordenador do CAPA Rondon, a formação em homeopatia vem somar forças ao trabalho de promoção da agroecologia desenvolvido pelo CAPA na região Oeste do Paraná. 

“As ações de nossa organização estão voltadas para o desenvolvimento rural sustentável, com base nos princípios da agroecologia. Então, o uso da homeopatia vem ao encontro do nosso trabalho: o de promover a colheita de alimentos saudáveis e livres de agrotóxicos e de uma vida em equilíbrio com a natureza”, afirma. 

Parceria

O CAPA e a Unioeste estabeleceram parceria para promover a homeopatia na região Oeste do Paraná desde o início. Hoje essa fronteira se expande e os conhecimentos desenvolvidos estão sendo compartilhados com pessoas de outras regiões do País com a realização do curso de modo virtual. 

Entre os principais parceiros desta caminhada, está o professor José Renato Stangarlin que leciona no curso de Agronomia da Unioeste. José Renato é fitopatologista e trabalha com controle alternativo de doenças de plantas, principalmente com a utilização de extratos vegetais, e foi aluno da primeira turma do curso. Desde então tem sido parceiro fundamental no desenvolvimento de pesquisas sobre a utilização da homeopatia na agricultura.

A homeopatia na agricultura

O termo ‘homeopatia’ deriva de duas palavras gregas: homeo (semelhante) e pathos (sofrimento). Foi desenvolvida no século 18, por um médico alemão chamado Samuel Hahnemann. O propósito da homeopatia existir é curar os doentes, e não apenas as doenças. 

Na agricultura, a prática da homeopatia foi regulamentada a partir da Lei Federal 10.831/2003, através da Instrução Normativa n.o 46, de outubro de 2011, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Essa instrução legalizou o uso de insumos, entre eles, a homeopatia na agricultura orgânica, recomendada tanto para o controle de doenças e insetos-pragas bem como para o reequilíbrio fisiológico das plantas.

>> Leia também: Professora da UFFS fala sobre a ciência homeopática e a importância do seu uso popular

A promoção de uma agricultura limpa de resíduos químicos e a redução dos custos com medicamentos veterinários alopáticos estão entre os principais benefícios do tratamento homeopático na produção de alimentos.

No Oeste do Paraná

A partir do ano 2000, são realizados eventos (congressos, seminários, cursos e capacitações) na área de Homeopatia na Agricultura. Devido a divulgação da homeopatia e seus métodos de aplicação, surge a necessidade de estruturação de um laboratório de manipulação de preparados homeopáticos e realização de experimentos para validar essa ciência como ferramenta auxiliar no desenvolvimento da agroecologia na região. 

Em 2006, por meio de edital do CNPq, foi instalado um laboratório na sede do CAPA para disponibilizar kits de medicamentos básicos para grupos de agricultoras e agricultores. Em 2007, na Unioeste, por meio do curso de pós-graduação em agronomia, nível mestrado, foram iniciadas pesquisas em homeopatia na área vegetal, com enfoque no controle alternativo de doenças, gerando vários trabalhos científicos, realizados em cima das demandas do trabalho de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER). Em 2009, teve início a primeira turma do Curso de Extensão Homeopatia na Agricultura, que está em desenvolvimento até hoje. 

Associação brasileira

Em agosto de 2021, foi criado no Paraná um núcleo da Associação Brasileira de Homeopatia Popular (ABHP). A representação hoje funciona na sede do CAPA, em Marechal Cândido Rondon. A associação tem o propósito de articular pessoas agentes e simpatizantes da homeopatia para formação e socialização do conhecimento técnico e popular de modo a gerar mudanças positivas na sociedade. 

Fotos: Arquivo CAPA e Amanda Cecato