Cooperativa Ecovale e CAPA Santa Cruz realizam ação solidária e humanitária durante a pandemia da Covid-19

Notícias

Cooperativa Ecovale e CAPA Santa Cruz realizam ação solidária e humanitária durante a pandemia da Covid-19

Entre os dias 29 de abril e 13 de maio, a Cooperativa Ecovale, com apoio do núcleo de Santa Cruz do Sul do Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (CAPA), entregou cestas básicas de produtos agroecológicos para 124 famílias em situação de vulnerabilidade social. As ações de assistência social e de enfrentamento e combate à pandemia da COVID-19 beneficiaram famílias de catadoras e catadores de materiais recicláveis da Cooperativa de Catadores e Recicladores de Santa Cruz do Sul (COOMCAT), da Cooperativa de Catadores de Material Reciclável de Rio Pardo (COCAMARP) e da Cooperativa Mista de Coleta e Reciclagem de Materiais Reaproveitáveis e Educação Ambiental de Encruzilhada do Sul (COMCREAL), além de quilombolas da Comunidade Quilombola Rincão dos Negros da Associação Comunitária Quilombola Jacinta de Souza, de Rio Pardo (RS).

As entregas das cestas de alimentos agroecológicos produzidos por agricultoras e agricultores familiares ecologistas associados à Cooperativa Ecovale para catadoras e catadores de Santa Cruz do Sul foram realizadas em parceria com o consórcio de entidades de agroecologia do Rio Grande do Sul, com projeto elaborado pelo Centro de Tecnologias Alternativas Populares (CETAP). Já as entregas das cestas básicas para quilombolas, assim como para catadoras e catadores de Rio Pardo e Encruzilhada do Sul, foram executadas por meio de um projeto da Fundação Luterana de Diaconia (FLD). O CAPA estava envolvido na elaboração e na execução de ambos os projetos. Os recursos são provenientes das ações de assistência social e saúde da Fundação Banco do Brasil e seus parceiros, entre os quais estão o Banco do Brasil, a BB Seguros, o Banco BV e a COOPERFORTE. 

Rosângela Terezinha Nunes, presidente da COOMCAT, conta que a cooperativa vem passando por um momento muito difícil desde o início da pandemia. Assim, segundo Rosângela, as cestas básicas entregues trouxeram a esperança de que tudo ficará bem e também complementarão a renda de catadoras e catadores de materiais recicláveis, pois são alimentos que não precisarão comprar. “Cada catador da COOMCAT possui, em média, de 2 a 3 membros por família, então a cesta básica realmente propiciou acesso a alimentos orgânicos e saudáveis a todas as famílias de catadores da COOMCAT. Ficamos mais felizes ainda em saber que são alimentos vindos da agricultura familiar, orgânicos e extremamente nutritivos”, relata a presidente da cooperativa de catadoras e catadores. 

Joelita David Bitencourt, da Associação Comunitária Quilombola Jacinta Souza, também fala sobre a importância das cestas que foram entregues. “Aqui no interior é bem mais complicado. As casas são longe e quem trabalhava na cidade está sem emprego. Nem linha de ônibus tem nesses dias, o que dificulta até para quem precisa comprar alimentos. Por isso essas cestas irão ajudar muitas pessoas daqui”, conta. Mas as entregas das cestas não beneficiaram somente quem irá consumir os alimentos agroecológicos. Agricultores da Ecovale como Roque Finkler de Linha Duvidosa, interior de Venâncio Aires, estão felizes com a iniciativa. “Para nós veio em boa hora essa entrega que conseguimos fazer por intermédio do CAPA. Pelo fato de ficarmos em casa devido à pandemia, não estamos fazendo a feira”, explica o agricultor.

De acordo com a enfermeira Grasiela Michels, do CAPA Santa Cruz, a agroecologia traz em suas ações vários aspectos relacionados e transversais ao que diz respeito aos direitos humanos. “Neste momento de pandemia conseguimos, por meio do apoio desses parceiros, da Ecovale e seus agricultores familiares associados, promover o acesso a alimentos saudáveis para famílias em situação de vulnerabilidade social, atendendo o seu direito básico à alimentação”, diz a enfermeira. Com isso, segundo Grasiela, o CAPA reafirma seu compromisso com a vida e com o desenvolvimento regional da agricultura familiar agroecológica, levando dignidade a quem produz alimentos saudáveis e a quem consome.

Semana do Alimento Orgânico

As ações de entrega das cestas fortalecem a 11ª Semana Nacional do Alimento Orgânico, que se estende de 24 a 31 de maio e tem como tema “Produtor orgânico: parceiro da natureza na promoção da vida”. O objetivo é divulgar a importância nutricional dos alimentos orgânicos e os benefícios à saúde de quem consome, mas também a possibilidade de se gerar renda com a produção orgânica e o ganho em saúde de agricultoras e agricultores neste modo de produzir.

Conforme a enfermeira Grasiela Michels, do CAPA Santa Cruz, todas as pessoas envolvidas estão comprometidas e engajadas em ações de enfrentamento das dificuldades, principalmente as alimentares e nutricionais, das famílias e das comunidades neste momento de pandemia. “Atuamos por uma diaconia transformadora, respeitando a dignidade humana de cada pessoa, fazendo junto e construindo um lugar melhor para se viver com alimento orgânico, comida boa na mesa e agroecologia”, conclui. 

Fotos: Arquivo CAPA Santa Cruz