Maela: intercâmbio e preparação para Assembleia

Notícias

Maela: intercâmbio e preparação para Assembleia

A preparação da próxima Assembleia Continental do Movimento Agroecológico Latino-americano e Caribe (Maela), marcada para 2020, foi pauta do encontro do Conselho Político do movimento, cuja coordenação é integrada por Alícia Alem (Argentina) Javier Souza (Colômbia), Sixto Martín (Cuba) e Jhony Luchmann (Brasil) representando as quatro regiões abrangidas pelo Maela – Meso América, Andina, Caribe e Cone Sul. O encontro, realizado em Havana, Cuba, de 1º a sete de setembro, também proporcionou um intercâmbio de experiências agroecológicas.

“Aprendemos muito, foi fantástico”, disse o coordenador adjunto do Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia (CAPA) de Marechal Cândido Rondon (PR), Jhony Luchmann. Ele participou da reunião em Cuba como coordenador da Região Cone Sul do Maela, que reúne o Brasil, Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai. “Uma das coisas que mais me impressionaram é a diversidade de alimentos produzidos em áreas limitadas e que a maioria das chácaras tem um ponto de venda, que é como uma feira livre permanente. Estes espaços estão muito próximos das pessoas consumidoras”.

Cuba pode ser considerada um oásis de agricultura orgânica e sustentável. A capacidade de produzir orgânicos em pequenos espaços resultou do bloqueio comercial, econômico e político imposto pelos EUA a Cuba, após a revolução cubana e a posse de Fidel Castro em 1959. O país foi forçado a abandonar grande parte de sua agricultura em larga escala e com ampla utilização de produtos químicos e substituí-la por uma rede de pequenas fazendas e métodos mais naturais e alternativos. Surgiram cooperativas de pequenas fazendas e novos mercados. “O compromisso de produtoras e produtores é impressionante”, disse Jhony.

A atividade do comitê político foi organizada e planejada pela Associação Cubana de Produção Animal (ACPA), uma entidade membra do Maela. “A ACPA tem 35 mil pessoas associadas, e o que me marcou é que são elas que pagam o trabalho de assistência técnica e o investimento em pesquisa. Também visitamos algumas famílias referência na produção animal”.

Assembleia

O Maela é um movimento aberto, plural e diverso, que reúne mais de 150 instituições e organizações da agricultura familiar, campesina, indígena, de consumidoras e consumidores, da sociedade civil, de educação e universidades. Sua tarefa está fundamentada essencialmente na comunicação, promovendo a troca e compartilhamento de saberes. Seu objetivo é fortalecer a agricultura agroecológica, para o desenvolvimento humano sustentável, a partir da agroecologia e dos saberes locais.

De quatro em quatro anos, realiza sua assembleia – a próxima está programada para 2020, com a perspectiva de acontecer na América Central. Para Jhony, esses momentos são estratégicos, pois proporcionam a construção coletiva e fortalecimento da agroecologia na América Latina. “São espaços para construir, definir e alinhar estratégias, especialmente com o atual cenário de perda de direitos e de desmontes de políticas públicas, que muitos países estão enfrentando”.

Com informações de https://exame.abril.com.br/mundo/o-ouro-da-agricultura-cubana/