CENTRO DE APOIO E PROMOÇÃO DA AGROECOLOGIA

Notícias

Município estuda adoção de programa de apoio à produção orgânica de base agroecológica

2-08-2014

Com o objetivo de articular políticas e ações de incentivo ao cultivo de alimentos orgânicos e com base agroecológica, fortalecer a produção dos agricultores familiares locais e agregar renda e ampliar a oferta de alimentos saudáveis na mesa das pessoas, a Administração Municipal de Venâncio Aires (RS) estuda a criação do Programa Municipal de Apoio à Produção Agroecológica. Nesta semana, o prefeito Airton Artus recebeu produtores integrados ao grupo “O Eco da Vida”, das localidades de Vila Santa Emília, Linha Duvidosa e Linha Santana, interior do município.

O grupo de cinco famílias apoiadas pelo Centro de Apoio ao Pequeno Produtor (Capa) já produz aproximadamente 50 variedades de hortifrutigranjeiros e grãos livres de defensivos agrícolas. Na companhia do engenheiro agrônomo do Capa, Luis Rogério Boemeke, o grupo de agricultores venâncio-airenses presenteou o prefeito com uma cesta de produtos ecológicos. Os agricultores, que comercializam os alimentos todas as quartas e sábados, em frente ao ginásio Santa Rita do bairro Gressler, e sábados pela manhã junto à Associação de Moradores do bairro Morsch, agradeceu o apoio da administração municipal à produção ecológica e levou sugestões para fomentar a participação de mais famílias.

O agricultor Clécio Luiz Weber ressalta que vale a pena o plantio sem defensivos químicos. “É uma aposta na nossa própria saúde e de quem consome o que produzimos. Apesar de ser mais difícil, é possível sim tirar o sustento da terra sem mexer com veneno”. Formado pela Escola Família Agrícola e atualmente estudante do curso superior de Tecnologia em Horticultura, Anderson Richter, de Linha Santana, aposta que a crescente preocupação com a saúde deve abrir novos mercados consumidores de produtos orgânicos e destaca não conseguir atender a tanta demanda. “O próprio Programa de Alimentação Escolar (PNAE) projeta 30% de produtos orgânicos para a merenda de creches e escolas, mas não tem gente para produzir”, relata.

Para incentivar a oferta de alimentos saudáveis, Airton Artus estuda medidas indicadas pelos próprios agricultores, que possam ser compiladas através de um programa municipal. Entre as sugestões está a continuidade do convênio com o Capa, linhas de crédito específicas voltadas à produção orgânica, programa de horas-máquinas específico para produção ecológica, incentivar a abordagem agroecológica nas diferentes modalidades de ensino, ampliar as bolsas de estudos junto à Escola Família Agrícola, promover cursos do Pronatec na área e estimular a industrialização e comercialização de orgânicos.

O prefeito ressalta o apoio à proposta e diz que a experiência dos cinco produtores do grupo O Eco da Vida deve servir de estímulo para todo o município. De acordo com ele, existe um grande interesse em ampliar a participação de produtos agroecológicos em programas como Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa de Alimentação Escolar (PNAE). “É uma questão de saúde e, cada vez mais, as pessoas estão preocupadas com a sua alimentação. É um nicho de mercado que só tende a crescer”, ressalta.

De acordo com levantamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), 30% dos alimentos que hoje chegam às mesas dos brasileiros contêm teor inadequado de agrotóxico ou produtos de uso proibido.

Fonte: Daiana Nervo - MTB 12.503/Prefeitura Municipal de Venâncio Aires